was successfully added to your cart.

Foto do  Nederlands Dans Theater

INTELIGÊNCIAS CÊNICAS

Por | Caminho do Samurai, Inteligências Múltiplas para o Ator | Sem comentários

Um ator-samurai está em constante busca da melhora. Da melhora de si próprio. Isso significa que além de otimizar o que é útil para sua carreira, também diz respeito a não desperdiçar tempo com informações, procedimentos, e pensamentos, que lhe sejam inúteis. Isso significa agir inteligentemente em prol de suas próprias inteligências.

Eu desenvolvi uma divisão prática das inteligências humanas, de forma que possamos nos desenvolver e elevar nossa qualidade, e a qualidade de nosso trabalho.

Viver é atuar em diversas esferas, diversos planos de relação. Nós agimos em 03 diferentes planos de relação: Agimos e nos relacionamos com as pessoas conhecidas e do entorno imediato à nossa existência; agimos, e somos responsáveis e sofremos reações de nossas ações num âmbito maior, que é a vida em sociedade; e agimos e modificamos o mundo, e a nós mesmos, quando realizamos o nosso trabalho.

E aquilo que denominamos “trabalho”, é a ocupação que mais gastamos tempo na vida. Perceba: você consome um terço da sua vida dormindo; e os outros dois terços podemos dividir em “trabalho” e “lazer”, e a grande maioria das pessoas irá concordar que o tempo que passam “curtindo” é menor que o tempo que passam “ralando”. E nós, além de tudo, temos o trabalho mais difícil do mundo.

A grosso modo, você não precisa ser muito inteligente para executar a maior parte do trabalho necessário para manter o planeta Terra girando, e disponibilizando o essencial para a manutenção da vida; e também não são muitas, em termos de quantidade, as inteligências necessárias para a otimização da sociedade, de forma que essa Vida, que habita esse planeta, tenha uma existência digna, confortável, e com qualidade. Analisando friamente você pode perceber que quanto o mais difícil e primordial o trabalho para a preservação da humanidade – enquanto conceito de “humano”, e não de “número de gente que nasce” – maior será a quantidade de inteligências necessárias para executar esse trabalho. E nós, aqueles que são chamados de: “gente de Teatro”, em nosso trabalho, somente voltadas para as questões técnicas específicas nossas, utilizamos QUATRO destas inteligências. Quando tratamos de nossa relação com outras pessoas, e com a gente mesmo, o que é imprescindível para nossa arte, utilizamos mais TRÊS. As outras duas a gente vai usando, assim, de forma meio mundana…

O que chamei de Inteligências Cênicas são aquelas específicas que tomam forma em nosso trabalho, tanto em sala de ensaio, enquanto prática e treinamento; quanto em cena, enquanto fisicalidade, estado de atuação.

Praticamente, desde Saxe-Meininger, Stanilasvski, e Copeau, viemos exercitando essas inteligências há pouco mais de um século, então haveria pouco a dizer de novidade sobre suas importâncias, e até mesmo a descrição de exercícios seria possível serem apenas uma mera descrição daquilo que você faz em dias de ensaio.

Por isso, após uma pequena explicação sobre cada inteligência, eu vou te descrever uma pequena lista de exercícios que acredito que sejam um pouco diferentes dos praticados em grupo, e são direcionados para as pequenas coisas que você pode fazer por si mesmo.

Caso as informações que você irá receber daqui em diante despertarem um interesse maior em conhecer outros exercícios, outras formas de exercitar sua inteligência cênica, tanto sozinho, quanto com seu grupo em sua sala de ensaio, entre em contato comigo. Pode ser pelos comentários, por email, pelo Facebook, não importa; não deixe que a preguiça te impeça de crescer. Lembre-se: não precisamos de atores medíocres!

Te aguardo aqui. Semana que vem.

8_Inteligencias

VOLTANDO AO ASSUNTO

Por | Caminho do Samurai, Inteligências Múltiplas para o Ator | Sem comentários

Já definimos o que é inteligência, mas isso é pouco. O que interessa é saber como aproveitá-la. Como expandi-la, e como utilizá-la de maneira… bem, inteligente. Porque você pode utilizar a inteligência de maneira burra. Por exemplo, a bomba atômica. Saber como criar uma arma que pode acabar com o mundo é inteligente, concordo. Mas criar realmente essa arma, convenhamos… não é preciso ser inteligente para saber que isso é uma péssima ideia.

A inteligência pode ser dividida em grandes grupos, que se interagem, e se afetam. De acordo com a Teoria das Inteligências Múltiplas, nós possuímos, atualmente, 09 inteligências.

Lógico-matemática – A capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, permite o raciocínio dedutivo.

Linguística ou Verbal– Além do domínio e apreço a idiomas, também tramita pelo estético e pela imaginação.

Musical ou Sonora – Identificável pela habilidade para reconhecer, compor e executar padrões sonoros e musicais.

Espacial – Se manifesta na compreensão do mundo visual, de forma a ser capaz de transformar, modificar percepções e recriar experiências.

Corporal-cinestésica – Capacidade de controlar e dinamizar as possibilidades físicas do corpo, possibilitando a execução fina dos movimentos.

Intrapessoal – É ser capaz de se conhecer.

Interpessoal – Habilidade de entender o outro: suas intenções, motivações, e etc.

Naturalista ou Ecológica– Um dos mais novos conceitos aceito como inteligência. Se trata da capacidade de compreender e organizar os objetos, fenômenos e padrões da natureza.

Existencial – Ainda causa controvérsias… talvez, devido a sua intangibilidade, pois abrange a capacidade de refletir e ponderar sobre questões fundamentais da existência.

Irei apresentar uma a uma e ainda propor exercícios para que o ator possa evoluir dentro de si mesmo.

Obrigado e até semana que vem!

criatividade-e-a-inteligencia-se-divertindo

Inteligência X Criatividade

Por | Caminho do Samurai, Inteligências Múltiplas para o Ator | Um comentário

Antes de continuarmos essa conversa, acho bom lembrar que estamos falando de Inteligência e não de Criatividade

Apesar de ambas serem estritamente parecidas em suas análises, e ambas possuírem as qualidades de serem treináveis, dimensionáveis, e qualificáveis – ou seja, você pode aprender, treinar, direcionar, e avaliar tanto a sua inteligência como a sua criatividade; mas elas não são a mesma coisa.

 

Talvez seja difícil apontar se uma solução apresentada é uma resposta inteligente ou criativa, mas pensamos assim:

 

“Usar a pele de outro animal para proteger o nosso corpo no frio” é uma solução inteligente;

“Cortar e costurar essa pele em forma de uma blusa” é uma solução criativa;

“Perceber que é melhor usar a lã do animal, ao invés do seu couro, porque assim você não mata o animal, e terá lã em abundância” é uma solução inteligente.

“Usar plantas para tingir essa lã, e assim criar roupas coloridas” é uma solução criativa.

 

Outro exemplo: “Criar representações para as cores, e assim transmitir alguma ideia, ou um conceito, apenas com a sua disposição” é algo bem inteligente. Já percebeu que a bandeira dos Estados Unidos, da França, Inglaterra, Cuba, Camboja, Taiwan e Austrália possuem as mesmas cores? E que em cada caso, cada cor possui um significado diferente? A maioria dessas bandeiras possuem estrelas, na cor branca para realçar sobre as outras cores – algo inteligente, mas em cada bandeira, a estrela possui um significado diferente, bem criativo, não? Ou seja, “utilizar cores para transmitir uma ideia” é algo inteligente, agora, para “dispor essas cores em formatos que transmitam esta ideia” é necessário uma certa dose de criatividade.

 

Em suma, perceba que você conhece pessoas que são muito inteligentes, e que talvez elas não sejam tão criativas; como também você deve conhecer pessoas com uma criatividade invejável, mas que não são tão inteligentes assim…

 

Tem uma frase que eu gosto que diz assim: “Inteligentes fazem o que devem. Criativos fazem o que querem.” Pessoas inteligentes fazem o que vieram ao mundo para fazer: Buscam responder algo. Solucionam problemas, desenvolvem artefatos materiais e imateriais, aprimoram conceitos e coisas, buscam e apresentam respostas.

 

Pessoas criativas mudam as perguntas. Elas interferem no mundo. Modificam e abalam as estruturas.

 

Você pode ser inteligente & criativo. Ambas as qualidades podem ser cultivadas, treinadas e aplicadas em todas as situações.

 

Falarei mais e melhor sobre Criatividade no Caminho da Gueixa.

 

Volto a falar sobre Inteligência para o ator-samurai semana que vem.

 

Nos vemos em breve.

 

 

inteligencia

O TREINAMENTO SAPIENTE

Por | Caminho do Samurai, Inteligências Múltiplas para o Ator | Sem comentários

Eu sou devoto do pensamento de que o ator deve saber o que está fazendo, ou pelo menos, o “por que”. Existem perguntas que talvez não tenham respostas fáceis, e existem respostas que talvez não satisfaçam. Calma. Na dúvida, respire, e faça.

Uma das qualidades do ator-samurai é a sua inteligência. Ou melhor, é como ele reconhece, treina, amplia, e desenvolve sua inteligência. Ou melhor ainda, suas inteligências.

Mas o que é ser inteligente? Ou ainda, o que é Inteligência?

Podemos tentar definir inteligência assim: capacidade de entender, compreender e conhecer; capacidade de imaginar e criar soluções e ferramentas, resolver problemas, de se adaptar, ou de adaptar o ambiente a sua vontade ou necessidade.

Ou seja, algo pouco aproveitado no ambiente escolar e acadêmico – tidos como referência para designar se alguém é, ou não, inteligente. O importante é saber que não é a sua nota na prova, sua classificação no ENEM, ou sua avaliação num teste de QI, que irá definir se você é, ou não, inteligente.

Mas o que foi dito antes ainda não é suficiente para podermos conversar com um ator-samurai sobre Inteligência, então vamos colocar assim:

*Inteligência é capaz de ser simbolizada. Você pode criar representações de uma ideia, ou de uma experiência. Pode utilizar números, letras (que são representações gráficas de algo abstrato), imagens, notas musicais, gestos sociais, expressões corporais e vocais, ou seja, uma série de ferramentas que permitem a codificação e a decodificação de tudo que já foi imaginado, sentido, e criado pela espécie humana.

*Inteligência se desenvolve. Existe o desenvolvimento físico do corpo humano, que após o nascimento podemos dividir em 04 grandes fases: Infância, Adolescência, Adulta e Velhice. Assim como também existe os desenvolvimentos psicológicos, que quando dissociados de sua contraparte física, logo percebemos, pois espera-se que um adulto aja como adulto, e não como criança, por exemplo. E também existe o desenvolvimento da Inteligência, que possui variações ao longo da vida. A saber: pouquíssimas descobertas matemáticas relevantes na história aconteceram depois dos 40 anos de alguém, diferente de grandes obras da literatura, por exemplo.

*Inteligência pode ser danificada. Doenças e acidentes podem estagnar, ou anular, o desenvolvimento cognitivo, ou a capacidade intelectual de alguém. Lesões físicas ou motoras podem modificar a vida, a rotina, das pessoas; mas são condições que podem ser superadas por objetos e técnicas que são criados constantemente. Lesões cerebrais podem danificar a capacidade da fala, ou a memória, ou o raciocínio, de forma permanente.

*Inteligência possui reconhecimento cultural. O grau de complexidade musical de algumas tribos da Nigéria pode ser equivalente ás grandes criações dos mestres austríacos, mas em alguma comunidade periférica de uma grande cidade brasileira, ambas não tem valor nenhum. O poder de abstração de um jovem asiático pode ser maior que o de um engenheiro americano da NASA, mas ambos morreriam de fome no Himalaia sem a ajuda de qualquer criança pastora de lá.

Ok, mas o que essas informações interessam para o ator?

Eu te conto na semana que vem. Até lá!

espada-samurai

NO CAMINHO DO SAMURAI

Por | Caminho do Samurai, Inteligências Múltiplas para o Ator | Sem comentários

Apesar do termo escolhido: “caminho”, possa parecer uma rota sem fim, ou ainda, um “caminho sem volta”, a ideia não é esta. Os artistas da cena seguem um caminho só, o SEU CAMINHO, se este caminho por vezes parece ser o do Samurai, ou o da Gueixa, é apenas um trecho, o importante é onde o ator pousa seu olhar enquanto segue a caminhar.

Mas vamos falar um pouco mais sobre o Caminho do Samurai. Como foi dito antes, os samurais devotavam sua vida e seus esforços para um mestre, e é neste mestre que eu quero que você pouse os seus olhos agora.

Costumo dizer que o Caminho do Samurai é o caminho do “de-dentro-para-fora” ou seja, que ele trata dos assuntos internos que reverberam pelo exterior do ator; mas esta explicação não é suficiente, faltam termos, contextos, exemplos… Então para retirar um pouco esse véu de mistério (“revelar” vem de “retirar o véu”)… vamos tentar uma outra coisa:

Quem é o mestre? Quem é, e onde se encontra o alvo do olhar, dos esforços, e da vida do ator-samurai?

Quando o ator decide praticar um exercício, um treinamento, ou ainda vivenciar uma estética diferente, aprender e se apresentar num formato que não está acostumado, ou apenas repetir sua rotina pessoal na busca uma técnica própria, ele está vivendo no Caminho do Samurai.

Nestas situações, onde seus esforços são íntimos e internos, mesmo que os resultados sejam visíveis, e aparentam ser apenas externos; onde está o mestre? Onde está o foco original dessa decisão, dessa maneira de trabalhar? Está dentro do ator. O mestre do ator-samurai é ele mesmo. Ele é o seu próprio objetivo. A ele serve, a ele devota sua atenção: a si mesmo.

Existem atores que permanecem, ou que permaneceram neste caminho, a vida toda. E não há nada de errado com isso. Alguns trafegam constantemente por entre os caminhos, e vivenciam alguns momentos de “treino samurai”, e também não há nada de errado com isso. Existem outros que parecem nunca pisar neste chão, que vivem constantemente pelo caminho da Gueixa. E sobre isso, também não há nada de errado.

O que há de errado é quando um samurai serve a um mestre ruim. E como já foi dito: “não existem atores ruins, ou se é ator ou não”. Não pode existir mestres ruins, porque mestres ruins não possuem samurais. Não se preocupe com isso agora. Apenas se esforce para ser o melhor samurai possível para seu mestre. E seja o melhor mestre possível para seu samurai.

Semana que vem, irei apresentar uma das “trilhas” que percorrem os atores samurais.

Espero por você aqui.