was successfully added to your cart.

Swimmer Doing Backstroke --- Image by © Tim Pannell/Corbis

Por | Contos Curtos | Sem comentários

“Ele estava em uma rampa de acesso, olhando para a piscina, incomodado com o calor do lugar fechado, com o cheiro de cloro que ardia o seu nariz e seus olhos.

Ela estava na piscina, treinando velocidade, tentando ser mais rápida.

Ele se perguntava porque estava ali, porque tinha vindo de surpresa, porque ver o sorriso dela se tornara tão importante assim.

Ela tinha outra preocupação. A preocupação dele era olhar para aquela mancha ia de um lado para o outro na piscina, e tentar entender porque gostava de vê-la assim: com um maiô, que apesar de apertar todo seu corpo, não a deixava sexy, a deixava linda. Com aquela pele com uma textura estranha por causa dos produtos na água. Com o seu cabelo, que depois de sair daquela touca ridícula, ficava todo emplastado, e era bonito de se ver. Ele já a viu em outras situações, já a viu usando vestido de noite, com cabelo arrumado, maquiada o suficiente, um lápis, um batom, com brincos e etc. E ela estava maravilhosa! Mas assim, agora, lhe dava a impressão de ver como ela era de verdade: Coordenada, ágil, rápida, graciosa.

Ela ao sair da piscina, estava cansada, um pouco frustrada pelo resultado.

Ele percebeu que, ela fora do seu elemento natural, continuava linda, com aquele maiô, aquele brilho estranho na pele, aquela cara cansada, mas feliz por fazer o que gosta, e fazer bem. E foi ao encontro dela.

Ela o percebeu, e abriu um enorme sorriso verdadeiro, como a muito não fazia.

Ele chegou perto, com uma vontade irresistível de molhar a roupa, e sentir aquele hálito de cloro dentro da sua boca.”

engraxate-2

Por | Contos Curtos | Sem comentários

“Sabe tio, naquele shopping tem um quiosque de doce, e a filha da dona paga o maior pau pra mim. E olha que ela sabe que sou favelão, que sou engraxate, e tudo. Ela é feinha, sabe? Mas é gostosa! Tem uns peitão! Pra quatorze anos tá bom. Mas eu casava com ela! A mãe dela tem muita grana, só se vê a Dona Cora andando de Corsa novo por aí, é! Eu chego lá, ela me dá uns doces, me olha com aquela carinha estranha, aqueles dente torto… o nome dela é Mirela, parece nome de margarina, não parece? Eu falo isso, e ela vira o cão, eu só dou risada… ela é legal… só é feia…. Sabe tio, eu preciso fazer vintão até sexta, porque quero por um piercing, e a promoção só vai até sexta, aí eu vou ficar lindão! Então vou chegar na Mirela e vou falar: Olha minha manteiguinha! Olha o seu Maicou como ficou lindão! Agora a gente pode ficar junto! Eu casava com ela! Não é só pelo dinheiro não! É pelos doces também!”